De outros carnavais

Poucos, muito poucos, só os escolhidos de verdade, sabem o quão ruim foi o meu Carnaval de 2009. As coisas na minha vida estavam totalmente fora dos eixos e isso teve consequências profissionais, físicas e emocionais.

Foi ruim, muito ruim, passei pelo carnavaval como um espectro sem absorver nada daqueles dias, mas ainda tinha uma esperança de ser um mau período por culpa do meu inferno astral que já tinha começado com tudo. Até que na 5ª feira pós-carnaval, boas novas vieram e parece que o mau tempo ia passar. Mas era só um equívoco, um período de calmaria em meio à tempestade. E ao mesmo tempo eu estava prostrada e não conseguia tomar nenhum tipo de atitude, nem mesmo para poder recorrer aos outros… Foi ruim, foi muito ruim. Foi difícil, foi muito difícil. Mas o bom foi poder perceber o quanto havia pessoas que se importavam verdadeiramente comigo e que estavam preocupadas de fato com o que eu estava passando. E foi por conta de todo esse carinho, amor e atenção que eu consegui passar por essa neblina.

E não foi nada fácil, até porque nada na minha vida nunca foi fácil. Acho que isso tudo ajudou a virar a pessoa determinada que sempre fui. E eu segui em frente, caindo, ralando as mãos, joelhos e cotovelos. Com cortes profundos. Com dor, da mais forte possível. Muita dor. Mas eu consegui, na verdade, eu tô conseguindo, a cada dia, mais e mais e mais. É assim que eu tô seguindo em frente…

E foi assim que fui percebendo o quanto de gente irrelevante, desnecessária e que não me acrescentava nada estava ao meu redor. E essas pessoas foram ficando pra trás também, junto com as minhas agruras, e inclusive com algumas delas. Pois é impressionante o quanto uma pessoa consegue empacar a sua vida quando está disposta a isso. Por isso, pra que deixá-las seguir ao nosso lado? Não quero e nem preciso.

Assim que eu fui capaz perceber que aquele carnaval nebuloso de 2009 foi só um período ruim na minha vida, que ficou pra trás, como tantos outros carnavais – muitos deles maravilhosos – mas estão lá, como lembranças de algo que passou.

Ficou lá, vagando no tempo, e assim pude perceber que posso ter carnavais felizes e que esses estão a caminho. E assim foi o de 2010 e assim serão tantos outros… É isso que eu quero e por isso que vou lutar…

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Desabafinho. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s