What’s Up?

Há uns dois dias essa música do Four non blondes grudou na minha cabeça de tal maneira que não quer sair de jeito nenhum… Era um verdadeiro hit do começo dos anos 90 e marcou muito meu começo de adolescência e bem a fase mais repleta de turbulências -dos 13 aos 15 – e acabou me trazendo muitas recordações dessa época da minha vida, dos meus sonhos e planos e como a vida acabou correndo tão diferente do que eu esperava e planejava. No fim vi que planejamento – hahaha – só serve como devaneio e pra nos pregar peças no fim. Afinal, absolutamente nada do que eu sonhava pra mim naquela época se reflete na minha vida real: não sou uma bailarina de renome ou uma crítica de dança de um dos principais jornais do País; não tenho meu estúdio de dança; não sou solteira como planejei até meus 20 anos de idade, tampouco sou a mãe solteira de 2 crianças que sempre sonhei me tornar; muito menos moro num amplo apartamento no Rio de Janeiro, de frente para o mar e com muitas plantas espalhadas pela sacada. No fim de tudo que planejei mesmo o que concluí foi: passei no vestibular de dança na Unicamp (ainda que tenha optado por não cursar) e me formei em jornalismo – de resto mais nada é concreto.

Mas vamos voltar ao mundo real e a algumas das reflexões que esse grude de What’s Up na minha cabeça me proporcionou.

Recentemente uma celebridade da web começou a me seguir no Twitter, é uma pessoa que eu “conheço” já há algum tempo por conta do meu trabalho em mídia social. Uma pessoa que eu acho linda e ponto, é só isso que eu acho na verdade, porque não sei nada da vida dela de verdade, o que sei são apenas os “disse-que-disse” cada vez mais frequentes na internet. Bom, o fato de ela ter começado a me seguir, me despertou a curiosidade de seguí-la de volta e, quem sabe assim, conhecer um pouco mais sobre essa pessoa de fato.

Mais o que mais me levou a escrever sobre isso aqui no meu blog foi que eu fiquei pensando nas similaridades entre a minha vida que é vista pela janela das redes sociais e a dela e vi que temos tanto em comum… Eu, ela, nossos relacionamentos etc. etc. etc. de uma maneira ou de outra estamos expostos. Do mesmo jeito que eu, e tantos outros já ouvimos muitas histórias a respeito dessa pessoa – e não tenho como saber até que ponto são verdadeiras – eu sei que várias pessoas já ouviram por aí milhares de histórias a meu respeito, a respeito do meu passado, de relacionamentos anteriores, do meu casamento e blá-blá-blá. E aí, do mesmo jeito que eu não tenho como saber o que é verdade, o que é boato e o que é mentira a respeito do que ouvi falar sobre essa pessoa, sei que os outros nunca terão como saber o que acontece de fato na minha vida. E sei que de pouco mais de um ano pra cá, virei alvo frequente desse tipo de mexerico. Porém, como essa pessoa que eu citei, junto com o Thi, acabei decidindo que não vou ficar me defendendo, me explicando e, acima de tudo, me expondo. Vou seguir na levada do Jair Rodrigues, que cantou sabiamente “deixe que digam, que pensem, que falem” porque podem falar o que quiserem que nada disso vai alterar o curso das coisas que de fato acontecem, aconteceram e acontecerão na minha vida.

Há um tempo essa pessoa decidiu ao lado de seu (sua) companheiro (a) que não ia mais expor sua vida nem um milímetro além do necessário e hoje vejo que ela está mais do que certa. Depois que o Thi virou VJ da MTV, esses ataques voltaram e, estamos cientes, de que a coisa só tende a piorar caso ele venha a ficar mais famoso. E o que eu posso fazer se tem gente que tem interesse em debater minha vida por aí?! Absolutamente nada. Portanto…

E foi por isso que, de uma semana pra cá, essa pessoa que eu citei desde o começo, e que nunca me despertou nenhum tipo de interesse, além do meramente profissional, passou a me chamar atenção como um modelo a ser seguido. Há legiões que não gostam dela e insistem em espalhar boatos a seu respeito, e, apesar de já ter se deixado atingir muito por tudo isso, ela agora decidiu que cansou e não se permite mais ser alvo. E ela é o meu maior exemplo nesse momento. É meio como o que escrevi quando disse que tava usando um magipack, mas agora eu decidi que vou começar a usar um insulfilm (não dos mais pretos), mas decidi me esconder um pouquinho atrás de uma película mais escura. E palmas para essa web-celebridade que só tem subido mais e mais no meu conceito. =)

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Desabafinho com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s