Momento Ostra

Há momentos na vida em que a gente precisa, simplesmente, se fechar, dentro de si, e ficar inatingível. Não se quer estar perto de ninguém, nem daqueles que amamos e nem daqueles que nos amam. Simplesmente queremos um retiro bem solitário.

Num momento como esses, você não consegue desempenhar nenhum de seus múltiplos papéis, nem o de filha, o de mulher, o de amiga, de mãe (ainda que canina), de neta, de prima, de sobrinha… Não consegue ser nada, nem você mesma. E a maioria das pessoas, simplesmente, não consegue compreender essa necessidade de isolamento e ficam te cobrando o tempo todo. E por não entender acham que você está se afastando porque quer, ou porque está melindrada, ou sei lá o quê, e depois, não quer mais saber de você. E esse é um preço que você acaba pagando por esse afastamento involuntário, mas que as pessoas entendem como se fosse voluntário. E aí, boa parte desses papéis que você não soube desempenhar satisfatoriamente, acaba deixando de existir. E aí você acaba sendo uma pessoa isolada de fato, porque ninguém quer mais ficar com você.

Ai, ai, essas horas eu vejo que feliz mesmo é o avestruz, que ao menor problema enterra a cabeça na terra e fica por lá até as coisas se acalmarem… =P

366/49

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s