Preconceito – sim, eu tenho!

Tem gente que acha que preconceito e racismo são sinônimos, mas não são, ainda que o racismo seja um tipo de preconceito. Preconceito é o pré-conceito, é formar sua opinião em relação a algo ou alguém sem ao menos conhece-la. Antigamente eu dizia que eu tinha apenas um preconceito na vida que era contra gente burra. Mas, pensando bem, se eu já sei que a pessoa é burra, não é bem um preconceito, é um conceito formado na irritabilidade que me causa conversar ou conviver com alguém que necessite de um tempo muito grande pra compreender algo óbvio.

Mas eu tenho um preconceito e ele já existe há tempos, e cada vez vejo que ele está mais e mais forte. Tenho preconceito com gente que acha que a internet é a coisa mais importante do mundo, que é base de toda a sua vida: amizade, amores etc. etc. etc. e que acredita piamente que é amiga de todas essas pessoas com quem “convive” virtualmente. Não dá, eu simplesmente não consigo lidar. Até tento ultrapassar essa barreira, ainda mais porque preciso disso por conta do meu trabalho, mas é muito complicado. E é claro que a internet é incrível, facilita horrores a nossa vida, mas não dá pra ter a vida baseada nela. Ela tem que ser um tijolo, nunca a base da nossa vida.

Outro dia a Laila veio perguntar se eu conhecia uma tal de “Fulana das Couves”, quando eu disse que não e perguntei porque, ela falou: “ela disse que escreve pro Judão, que é o braço direito do Thiago, blablablá, whiskas sachê”. Dei risada, porque nunca vi a menina na vida e ela nunca teve uma vírgula dela publicada no Judão – a não ser que ache que comentário conte. Mas ainda assim, podia conhecer o Thiago e estar supra-dimensionando as coisas. Quando mostrei pra ele, ele falou que nunca tinha visto, aí fomos olhar o perfil no Facebook e vimos que ela tinha vários amigos em comum conosco, mas só o povo hypado da internet. Provavelmente nem conhecia nenhum deles de fato. E nem mesmo é amiga nossa em Facebook, ou seguimos a maluca no Twitter.

Pra deixar bem claro, seguir uma pessoa no Twitter, Instagram, Tumblr, Facebook, Orkut ou seja lá quais as redes sociais que vocês usem, trocar comentários em blogs e conversas no Gtalk/MSN não fazem de você automaticamente amigo de alguém. Se fosse assim, de acordo com o Facebook eu tenho 1060 amigos, no Twitter 2323, no Instagram mais uns 300, no MSN uns 100 e no Gtalk mais de 1000.

Gente, de verdade, eu tenho uns 10 amigos do peito, e além desses não devo contar com mais de 30 amigos de verdade. Amizade é coisa séria, muito séria. É coisa rara e importante. Não é um mero blablablá num meio virtual que vai fazer com que você faça efetivamente parte da vida de alguém. E eu odeio esse tipo de pessoa, super íntima, que acha que é amigão e te conhece a fundo, porque trocou meia dúzia de frases com você. Não dá, não me desce, não consigo, não quero nem papo.

Mas quero deixar claro que não é impossível que isso aconteça. Pode até vir a ser que você se torne amigo de fato de alguém que você conheceu na internet. Isso é totalmente possível. Eu mesma, tenho uma amigona do peito, TOP3, madrinha de casamento, que eu conheci na internet, lá em 2003, num comentário do meu blog, começamos a conversar, aí vieram fotolog, msn, Orkut, Twitter, Facebook, isso sem falar nas inúmeras cartas, cartões e presentes. E olha que a Xelly tá lá em Fortaleza, a mais de 3 mil km de distância, ainda assim, ela já esteve aqui em São Paulo pra me visitar cinco vezes e eu tô devendo uma ida a Fortaleza pra ela. E eu a amo do fundo do meu coração.

Também há na minha vida outras pessoas bem importantes que conheci via internet. Mas é bem importante lembrar que isso não é regra. Até porque, se a amizade não se concretiza no olho no olho, no dia a dia, nunca vai ser uma amizade de verdade.

Você pode até bater papo comigo, mas isso não significa que é meu amigo. Ou seja, não se perfaça de íntimo de alguém sem ser de fato. Pra você se dizer amigo de alguém, é preciso compartilhar muito mais coisas que alguns contatos virtuais. ;)

366/171

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Desabafinho com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

7 respostas a Preconceito – sim, eu tenho!

  1. joiceg diz:

    curti!! Muito bom!:)

  2. Pri Fausto diz:

    aiaiaiai…com esse post, lembrei da época q ficavamos a madrugada toooodaaa no MSN,kkkkkkkkk

  3. Xellyta diz:

    Foi muito incrível a nossa história, né?! De um simples comentário sobre uma música do Milton, para uma amizade preciosa, com status de madrinha-que-os-alimenta!

    E eu tô aqui morrida de saudade de vc, minha amora amada!
    Doida pra ir aí novamente, pra te ver!

    Amo vc, viu?!
    Vc é MUITO especial para mim!
    Até meus pais sabem quem vc é, então esse negócio de “amizade virtual” já foi desrotulado há muitos anos atrás! É amizade real, que alguns mil Km e um tiquinho mais de $$$ nos impede de nos vermos mais, mas a gente dá os nossos pulos quando a saudade aperta! :-)

    Bjo nesse coração lindo!

  4. laila diz:

    Grande Fulana das Coves!!!!!

    E esse post me lembrou ooooutra pessoa… sabe de quem eu tô falando, né, 1a melhor amiga de SP? hahahahahahahahahaha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s