Os Jogos Olímpicos, o Judão e o Pasquale

Na sexta-feira o Thi me pediu pra escrever um texto pro Judão, pra entrar assim que acabassem os Jogos Olímpicos de Londres explicando o porquê o correto é Olimpíada de Londres e não Olimpíadas, como um monte de gente fala – inclusive alguns veículos de comunicação. Eu fiquei com um certo receio, porque eu tinha certeza que a reação das pessoas seria a de me apedrejar, dizer que eu quero pagar de sabichona, de caçar erros no meu texto etc. etc. etc. Enfim, o texto tá aqui e vocês podem olhar também os comentários – fora o tipo de coisa que surgiu no Twitter.

Mas eu sabia que isso ia acontecer pelo simples fato de que, nesses meus 33 anos de vida, uma coisa eu aprendi: as pessoas ODEIAM que apontem seus erros, ainda mais erros que cometem há muito tempo. O que é uma grande bobagem, porque no fim das contas, se ninguém nos apontar erros a gente não melhora em nada, né! Só que, mesmo eu já esperando esse tipo de reação, não me impede de ficar chateada com os ataques.

E tinha certeza que neguinho ia dizer que eu tava querendo dar uma de Pasquale, tentei dar um tom bem leve pro texto, o Thi editou e colocou algumas piadinhas pra torna-lo ainda mais leve, mesmo assim me acusaram de “pagar de sabichona” e por aí vai. Mas enfim, c’est la vie…

Pra quem quiser dar uma conferida, segue aqui o texto na íntegra:

E os Jogos Olímpicos de Londres acabaram. Normalmente, só ouviríamos essas expressões (e, em alguns casos, os nomes de vários esportes) daqui quatro anos mas, como a próxima parada é aqui no Rio, pelo menos no Brasil o assunto vai estar bem mais em pauta ao longo desse período. Por isso o JUDÃO presta um serviço de utilidade pública pra você: o que vai acontecer por aqui dois anos depois da Copa serão os Jogos Olímpicos do Rio ou a Olimpíada do Rio, Olimpíada 2016, Olimpíada. Não importa como você chama, é NO SINGULAR. Não OlimpíadasSSsSssS.

O erro já tá tão comum e é repetido sempre à exaustão que fica parecendo que tá certo, mas não tá não. Olimpíada é o período olímpico de quatro anos que se inicia a partir do momento em que os Jogos Olímpicos anteriores são encerrados. Portanto, oficialmente já começou a Olimpíada do Rio.

nathanthenerd.tumblr.com

No plural, como mais vemos por aí, é coletivo. Olimpíadas é quando você está falando de mais de uma Olimpíada. Nas Olimpíadas de Atenas e de Pequim, blablablá, tá correto, pois são duas olimpíadas e não uma. Como por exemplo “nas Olimpíadas de Pequim e Londres o grande destaque foi Usain Bolt”, “Phelps acumulou um recorde de medalhas nas Olimpíadas de Atenas, Pequim e Londres” ou então “o Brasil já conseguiu mais de cem medalhas em Olimpíadas”. Qualquer uso fora disso tá errado.

Simples assim.

Ainda assim insistem em falar errado. Vi muitas vezes Olimpíadas de Londres, gente dizendo “nessa Olimpíadas”… Oi? Mas, pra não parecer chata, não parecer o Pasquale na imagenzinha do Facebook, muita gente deixa o erro pra lá e, em nome do espetáculo da coisa toda, segue em frente, com erro mesmo. Aí vai ter gente dizendo que falar no singular é feio, que fica estranho. Então fale Jogos Olímpicos, que é o jeito mais correto de se referir ao período de competições, porque, como dito antes, a Olimpíada abrange o período em que a cidade seguinte passa a ser a cidade-sede. Os jogos são a coroação desse período que tradicionalmente inclui um momento de reflexão das nações, de querer crescer e melhorar (não só atlética e esportivamente, mas na questão de valores humanos, mesmo), de incentivar o respeito mútuo, um melhor inter-relacionamento entre as nações, porque o principal ideal de uma Olimpíada é que através do esporte cada um lide melhor com todas essas regras de convivência.

NÃO QUE ACONTEÇA, é claro. Mas na teoria… :D

Então vamos lá, como diria o pessoal do Telecurso 2000: esse período competitivo são os Jogos Olímpicos, não exatamente a Olimpíada em si, muito menos as Olimpíadas. Os jogos seriam a cereja do bolo, o momento de fechar o período com uma festa e cada país mostrando o que sabe fazer de melhor. Mas como os Jogos Olímpicos fazem parte da Olimpíada, tá beleza se referir assim. NO SINGULAR.

Agora que você já sabe como e a razão, vê se da próxima vez fala bem certinho, porque não há nada melhor pra um país/cidade-sede do que um povo que sabe usar bem sua língua natal. Afinal de contas, quatro anos passam bem rápido e logo mais começam os Jogos Olímpicos do Rio. E não custa nada lembrar que agora começam os Jogos Paraolímpicos e que o Brasil costuma arrebentar e ser uma potência. ;)

366/212

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Desabafinho, Só acontece comigo com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

7 respostas a Os Jogos Olímpicos, o Judão e o Pasquale

  1. laila diz:

    Tem umas pessoas dando umas explicações bem plausíveis e legais no Judão… será que não pode ser as duas formas? De repente, por tanto uso, se tornou correto. Não? :)

    • t4yra diz:

      Não, não está correto. Olimpíadas é só o plural, todo e qualquer linguista fala isso, pode pesquisar, perguntar pros Pasquales da vida. É um erro comum, que as pessoas cometem justamente por não saberem a forma correta e por isso o Mar pediu pra eu fazer o texto. Mas eu tinha certeza que a reação ia ser justamente essa. Enfim…

  2. Ok, se é para melhorarmos como pessoas, cidadãos ou nação, estou dentro! E já comecei aprendendo porque também não sabia que o termo podia ser usado usado no singular, veja só!? Sei lá, acho que pensava ser uma palavra como lápis que acaba em “S” mesmo no singular… O uso da língua é tudo e , se todo mundo usar errado, acaba virando certo. Vamos aprender sem querer descontar na Tayra nossa frustração por descobrir tardiamente um erro. bjs

    • t4yra diz:

      Pois é, Fer, eu sou dessas que gosto de aprender (e consequentemente de melhorar), mas infelizmente sei que nem todo mundo tá na mesma pegada. E é bem o que você falou, estão me atacando porque a autora fui eu, como atacariam o Thiago caso tivesse sido ele e assim por diante, e acho que você matou a pau, a pessoa deve ficar frustrada porque sempre errou algo e aí parte pro ataque.

      Várias vezes já me peguei falando “caramba, ia morrer achando que era de tal jeito” quando aprendo algo que sempre fiz errado. Até porque eu acho que a nossa maior missão na vida é a troca: aprender e ensinar, sabe. O que um sabe bem muitas vezes é o calcanhar de Aquiles do outro, por isso, acho legal cada um partilhar o que sabe. :)

  3. Bom, sou daquelas que perde o amigo, mas não perde a correção ortográfica, então… Beijo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s