É dia de festa…

São 731 dias que essa pitica veio ao mundo!!! Hoje ela faz dois anos, e tem pouco menos que isso que ela entrou na minha vida, afinal, ela tinha só uma semana quando eu a descobri na internet, me apaixonei pela semelhança física dela com a Pepper e entrei em contato com a Karla da Casa dos Borges, que foi sempre mega atenciosa conosco. E já acordamos que pegaríamos a pequenina quando ela tivesse com 40 dias, porque ela já estaria desmamada e poderia ser enviada por avião – pois o canil era de Brasília. E assim, nos primeiros dias de dezembro de 2010, eu escolhi o presente de Natal do Thi.

Como ela ainda não tava aqui, eu dei pra ele um porta-retrato com fotos dela. Ele ficou embasbacado e decidiu que não queria que ela fosse sedada pra vir de avião e aí entrei em contato com a Karla e disse que iria busca-la de carro. E combinamos de eu ir pega-la no dia 27/12 (ela tinha um mês e 3 dias). E lá fomos nós dois, pegamos a estrada no dia 26 logo cedo, dirigimos os 1.100 quilômetros que separam São Paulo de Brasília – vimos capivaras, tucanos e araras-azul no caminho (quase um safári) – e chegamos lá umas 10 da noite (e ainda descobrimos que em Brasília tudo fecha às 20h – hahahaha). Acordamos logo cedo e fomos no canil, a Karla nos mostrou as instalações do canil, nos mostrou o pai e a mãe da Amélie e nos levou pra ver a ninhada e ainda brincou pra ver se eu reconheceria ela no meio dos nove irmãos (mas a manchinha branca na boca era inconfundível) e foi paixão ao primeiro colinho.

Ela era uma coisa micro-mini tinha o tamanho de duas mãos minhas. Veio o caminho todo causando (já devia imaginar o que seria minha vida a partir daquele dia – hehehe): mijou, cagou (inclusive no Thiago), sapateou na bosta, não achava posição que a deixasse feliz, até, enfim capotar. Chegando aqui já foi logo conferindo quem era aquela cachorrona que estava esperando por ela e devorando uma tigela de ração pra bulldog bebê umedecida com água morna e salpicada com leite em pó. E depois já se aninhou na sua caminha, dormiu e chorou, alternadamente, a madrugada toda. E assim começou uma rotina de acordar com uma bebezinha que fazia cocô e xixi por todo o corredor, até aprender o lugar certo.

Nós que tínhamos a Pepper como parâmetro, que aprendeu a fazer xixi no lugar certo no segundo dia e sempre foi muito tranquila e obediente, nos assustamos um pouco com a pequena que insistia em não aprender, que devorava qualquer coisa que estivesse ao alcance da boca e que, pra melhorar, tinha alergia de tudo e mais um pouco. Nossa vida com a Amélie foi um re-aprendizado, mas sem dúvida alguma é muito mais divertida, engraçada e menos monótona. Obrigada, pititica por no dar tantas alegrias (e aborrecimentos) e por tornar essa casa mais viva e dinâmica. Eu, o Thi e a Pepper não sabemos mais viver sem você. Feliz aniversário, meu amorzinho!!! <3

366/311

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Felicidade Partilhada com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

4 respostas a É dia de festa…

  1. laila diz:

    Eu também não sei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <3

  2. ines diz:

    ounn parabéns pipitica!

  3. Que linda a história dela Tayra, parabéns para toda a família!
    Beijos.

  4. Pingback: Dois anos de muita turbulência | Teia de Renda

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s