Carta aberta ao partner de toda uma vida…

San,

Desde janeiro, nossa convivência foi constante. No começo era apenas Ana Cecília, em dezembro somou-se Ana Lúcia, que me agregou em janeiro, e que no meu papel de jornalista, botei a boca no mundo e fiz que a notícia de seu estado chegasse ao conhecimento de muitos que conviveram com você em diferentes fases de sua vida.

Em todos a reação de empatia foi imediata, tomados pelo tsunami de boas recordações que você deixou na vida dos que cruzaram o seu caminho. Todos mobilizados, querendo te dar amor, carinho, dignidade, atenção, ajuda financeira e emocional. Foi uma reação em cadeia linda, emocionante, uma corrente do bem que tocou fundo no coração de todas nós que acompanhamos de perto o seu quadro nos últimos três meses.

Cada um que sabia do seu estado se sentia chocado e muito sensibilizado, e era automaticamente inundado por um sem fim de histórias maravilhosas que viveu ao seu lado, a cada nova pessoa que chegava, vinha junto um caso engraçado, uma história fantástica, e fomos sabendo cada vez mais de peripécias que você aprontava. Sempre inventando apelidos únicos, morando planos mirabolantes para tornar as muitas horas de ensaio menos exaustivas e mais divertidas. Você era um verdadeiro furacão, sempre amoroso, alto-astral, solidário, carinhoso. A quantidade de coisas boas que você plantou no seu caminho foi imensa, e isso deu sementes, muitas, e você as colheu nesses seus últimos meses, recebendo de volta todo este amor e carinho que nos deu.

Eu fiz questão de demonstrar pra você através de atitudes, mas também de verbalizar todo o meu amor e gratidão. Deixar claro o quanto você foi importante na minha história, o tanto que me orgulho de ter tido você como partner na minha melhor fase como bailarina, e como você foi primordial em dois momentos cruciais da minha vida: o primeiro quando rompi o ligamento do joelho, aos 16 anos e vi minha vida se encerrar para o ballet clássico, você foi o primeiro a me mostrar que o mundo da dança era muito mais amplo e que havia muitas vertentes que eu poderia explorar; o segundo, quando saí da Vida ao Corpo e estava à beira de entrar numa depressão e parar de dançar, você me deu a mão, não me deixou parar, ficou ao meu lado, e assim seguiu por mais quatro anos. Juntos dançamos lindos pas de deux, montamos um espetáculo maravilhoso sobre a anistia, travamos projetos de dança-teatro e seguimos no coração um do outro, mesmo que fisicamente afastados por cerca de dez anos.

Passamos os últimos 3 meses muito próximos, nos falando diariamente e nos vendo algumas vezes por semana. Junto com as meninas, fizemos um esquema de amparar você diariamente, e nunca deixar você desassistido em diversos pontos. Como toda convivência, em muitos momentos, a paciência era levada ao limite, tanto do nosso lado e quanto do seu. Nos desentendemos, nos magoamos… Mas como eu mesma te disse no dia da sua internação, quando a gente briga com alguém e por alguém, pedindo para que esta pessoa se cuide mais, é porque há ali amor e preocupação. Se não houvesse, a gente lavaria as mãos e deixaria pra lá. Porém, isso nunca aconteceu. Todas nós, ao lado da sua mãe e da sua tia, fizemos tudo que estava ao nosso alcance para que fosse o mais bem amparado possível e sei que cada um destes dias de 2016 você foi coberto de amor, carinho e os melhores pensamentos em cada momento.

Agora chegou a hora de seguir o seu caminho, botar um ponto final no sofrimento e dançar em novos palcos, iluminado, brilhando com todo o talento que você veio ao mundo, fazendo os olhinhos dos anjos cintilarem diante de tanta beleza. Siga dançando e levando alegria, da mesma maneira que fez em sua curta jornada por aqui.

Saiba que você está se despedindo da dor e deixando um lindo legado de semear arte por onde passou. Siga em paz, dance em paz, brilhe em paz.

beijo com todo o meu amor e carinho

Tayra (falo em meu nome, mas falo também em nome de todas as meninas do Pas de Six e do Harém)

60/366

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em About me, Desabafinho, Lavando a alma com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

3 respostas a Carta aberta ao partner de toda uma vida…

  1. cristininhajorge88 diz:

    emocionante..com certeza o céu mais alegre com a chegada do Sanderson…que descanse em paz..e que sua mãe tenha paz também mesmo diante da dor de sua ausência física..pois do coração nunca sairá…valeu Sanderson…valeu Tay e as meninas que estiveram ao lado dele cuidando e amparando..isso é amizade…isso é amor!

  2. Ana Cecilia Zarantonelli diz:

    Como te disse na hora que vc leu essa carta na primeira vez, que Dom maravilhoso o seu de escrever e através desse Dom colocar em palavras todos os nossos sentimentos, de amor por ele. Obrigada por todo esse carinho . Agradeço ao Sanderson por ter nos aproximado , em um momento tão difícil. Sempre juntas !!!!!!!!!!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s