Os meus motivos 1 e 2

Há pouco mais de seis anos, eu fiz dois posts com esse título e eles foram seguidos. Aí hoje é um desses dias em que a cabeça tá fervilhado, o coração tá sangrando, e quando parei pra pensar, e tentar verbalizar, logo percebi que aquilo que pra mim é tão sério e tá me ferindo quase que de morte no momento, pode parecer banal pra qualquer pessoa que estiver vendo de fora. Aí comecei a escrever e vi que o resultado tava saindo muito parecido com os posts que escrevi seis anos atrás.

O primeiro é curtinho, e está nestas aspas abaixo, quase igual ao que eu tinha rascunhado, por isso trouxe ele todinho pra cá. Já o segundo, segue abaixo, logo depois da ilustração. Ambos de fevereiro de 2010, mas tão atuais…

Os meus motivos são meus. Meus e só meus… São os que eu escolhi, pro bem ou pro mal, certos ou errados, mas são meus.

E não preciso ninguém pra me dizer que eles são idiotas. Afinal de contas, eles são meus, e foram os que eu escolhi. Pode ser idiota pra você, enquanto pra mim pode ser seríssimo. Até porque os seus motivos podem ser ridículos pra mim e relevantes pra você.

Enfim, são apenas isso: os meus motivos.

existir

Foi Fernando Pessoa quem disse e foram os meus motivos que me fizeram decidir. E a minha escolha foi viver, seguir em frente, não ser vencida por esse desejo imbecil.

Viver é a maior da coragens! Ir adiante é ter força, garra, peito e não é pra qualquer um. É preciso ter muita força pra levantar e seguir em frente, mesmo sabendo de que ainda há muita “tomada no cu” pelo caminho. Mas eu nunca fui pessoa de optar pelas coisas fáceis e desafios sempre me atraíram. Minha porção Monica Geller é bem forte e sou do tipo de pessoa que não admite perder, por isso eu ainda tenho motivos pra seguir na batalha. Vou permanecer lutando sempre. E mesmo que eu me arrebente inteira, que fique estropiada, eu sei – tenho certeza – que no final eu vou sair vencedora. Isso porque eu não admito nada diferente disso.

Porque eu não vim ao mundo a passeio. Essa não é minha missão. César deixou gravado no imaginário popular e essa é minha meta: Veni, vidi, vici. Qualquer coisa distinta não será aceita e assim que vai ser. Vou lá, vou lutar e vou traçar as coisas à minha maneira.

E quem estive oposto a mim, se prepare porque a adversária é das boas. #ficadica

69/366

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em Desabafinho com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s