Sobre rompimentos e reciprocidade de relacionamentos

Amigos não amigos

Muitas vezes eu me recuso a acreditar em coincidências, mas hoje, apareceu no meu Facebook, compartilhado por alguém essa “pesquisa” sobre amizade aí em cima. E, curiosamente, o Timehop me mostrou essa minha postagem de dois anos atrás. E é muito doido porque já se passaram 731 e é algo que ainda me dói, porque a gente não supera 15 anos tão rapidamente assim. Ainda mais em tempos de redes sociais, onde a rotina e o dia-a-dia de quem nos foi apartado, insiste em se esfregar sempre na nossa cara.

Ao mesmo tempo, vendo o gráfico por aí, pensei em gente do Facebook que está sempre declarando uma amizade por mim, que me deixa constrangida cada vez que penso que não retribuo o sentimento. E aí me parei pensando no quanto isso acontece no sentido oposto e tem gente que eu coloco no patamar de amigo, e de retorno sou colocada no de mera-conhecida. Bem doido isso, né!!!

Aí a gente relembra que sentimento é SEMPRE via de mão-dupla, não tem como ser de outro jeito, por mais que a gente se esqueça… =P

Segue minha postagem de 2014:

Fim de relacionamento é sempre muito dolorido, mas é bem mais doído quando decidem por você que não é mais para que você faça parte da vida de alguém que você ama. Você se sente traída por ser obrigada a deixar de compartilhar uma história, um passado, um presente e um futuro com o qual você sonhou e te foi tirado.

Inacreditavelmente, estou descobrindo que ainda é mais penoso quando uma amizade de muitos anos chega ao fim do que quando acaba um namoro. Mas amor e amizade são coisas que precisam ser mútuas, alimentadas pelos dois lados. Porque se um lado rega o relacionamento sozinho, com toda certeza, ele vai morrer do outro lado.

Por mais que me doa, resta a mim entender que fui colocada de lado, e seguir minha vida, já que a pessoa seguiu com a dela, e decididamente, disso eu não faço mais parte.

Vale a reflexão e fica aqui todo o meu apoio a quem está disposto a virar a página, mas fica na dúvida. ;)

84/366

Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em About me, Desabafinho com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s