Receita: Bolo de Reis

Não sei se essa é a terceira ou quarta vez que faço esse post por aqui. Mas esta época do ano não tem nem como. Já é uma tradição minha e da minha família. Eu também já contei por aqui, mas vou recontar, porque é muito bonito a história desta tradição. O Dia de Reis, na Espanha e de vários países da América Latina, é o dia em que as crianças ganham seus presentes (eles não ganham no Natal, como nós, e sim no Dia de Reis, porque foram os Reis Magos que trouxeram os presentes para Jesus – e faz todo o sentido do mundo, né!). Eu aprendi isso quando era criança, lendo Mafalda – pois é, leio a musinha desde 1987, vejam só… Mas foi já adulta, quando estudava Espanhol que fui lendo mais a respeito que me interessei mais pelo tema. Lá eles fazem a ceia de Reis, preparam vários doces tradicionais, inclusive uma deliciosa Rosca de Reis com um “presente”, que originalmente era um feijão ou uma moeda, mas que evoluíram para figuras de presentes ou reizinhos, que são confeccionados justamente para se colocar nesta Rosca de Reis.

Eu tenho quase certeza que esta rosca que deu origem ao Bolo de Reis. Não é assim tão tradicional aqui no Brasil, mas na minha família é, e já tem uns bons anos que eu sou a responsável por fazer o bolo. Antes era Mamis que fazia, mas acho que na última década o posto ficou pra mim. A gente sempre faz, é de lei. Aí, em 2012, que, sabe-se lá por qual motivo, falhamos e não fizemos, o ano financeiro foi uma desgraça pra todo mundo – hahahaha – então é melhor nem correr o risco. Por isso, não custa nada reforçar a tradição e olha a receita aqui. Assim como na Rosca de Reis, você precisa colocar um “presente”, geralmente um anel ou uma imagem dos Três Reis Magos no bolo. Segundo a tradição, quem come o bolo tem fartura o ano todo, mas a pessoa que encontra o presente, vai ser o bem-aventurado financeiramente durante o ano que acaba de começar. Vou dizer que não tenho do que reclamar dos anos em que eu ou Thiago achamos o presente.

A receita é fácil de fazer, mas é meio metódica/frescurenta, mas nada de muito complicado, e vale a pena porque o resultado fica sensacional. Na receita tem uma cobertura glaceada, mas eu só fiz com essa cobertura uma vez (ela é bem gostosa, mas é muito doce, então fica a gosto do freguês). Eu em geral só polvilho açúcar de confeiteiro e enfeito com as frutas. O sabor é bem bom, não é muito doce, e ainda tem as frutas (secas e cristalizadas), eu adoro… Vamos ao passo a passo, então:

>> Ingredientes

::Massa
200 g de manteiga em temperatura ambiente
1 xícara de chá de açúcar mascavo
4 ovos
1 lata de Leite Condensado
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 xícara de chá de frutas cristalizadas ou alguma fruta seca da sua preferência
1 xícara de chá de uva-passa preta sem semente (eu não uso uva-passa porque não gosto, no lugar coloco ameixa seca, cortada em 6 pedaços, mas a receita é com passas)

::Glacê
2 xícaras e meia de chá de açúcar de confeiteiro
2 colheres de sopa de leite quente
2 colheres de sopa de suco de limão

>> Como Fazer

::Massa
Bata a manteiga na batedeira até virar um creme. Adicione o açúcar mascavo e junte as gemas uma a uma, batendo sempre até que fiquem bem incorporadas à massa. Acrescente o leite condensado em fio (ou seja, vá deixando ele sair da lata nesse formato de fio, não coloque a lata toda de uma vez, ok!), sem parar de bater. Desligue a batedeira e misture a farinha de trigo peneirada junto com o fermento, as frutas cristalizadas e as passas. Por último, acrescente delicadamente as claras batidas em neve. Depois que as claras já estiverem bem incorporadas à massa, você joga o anel ou medalha passado na farinha de trigo. Asse em uma fôrma grande com furo central, em forno médio (180 graus), pré-aquecido por cerca de 1 hora (eu geralmente ligo o forno na hora que começo a preparar a massa). Desenforme o bolo ainda quente.

::Glacê
Misture todos os ingredientes e despeje sobre o bolo. Decore com cerejas ou damascos secos. Você também pode decorar com fios de ovos, caso goste (tipo a minha sogra – hehehe). ;)

Vale lembrar que, de acordo com a família do Thiago, é dia de comer romã e guardar 9 sementes na carteira. Eu como as romãs no Ano Novo, mas de qualquer maneira, não custa reforçar a mandinga, né! Mas como 12, uma pra cada mês. ;)

Quem fizer o bolo, depois vem aqui me contar nos comentários se gostou (e no fim do ano vem contar se ficou rico – hehehe).

6/366


Sobre Tayra

"Eu não aceito o que se faz Negar a luz, fingindo que é paz A vida é hoje, o sol é sempre Se já conheço eu quero é mais"
Esta entrada foi publicada em 366 posts, Receitinhas com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s